VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

GASTROENTEROCOLITE: A DUPLA DOR DE QUEM PERDE UM ENTE QUERIDO: perda e dúvidas

A mãe leva o filho de um ano e oito meses ao hospital. Seu quadro piora e ele morre.

Verifica-se a presença de hematomas e a mãe, como é óbvio, desconfia que a causa da morte seja a queda do menor.
Ajuizou ação, pleiteando indenização por danos materiais e morais, mas a perícia - que presumo não ter pago, tendo em vista a gratuidade processual - confirmou a causa mortis apontada pelo atestado de óbito: os hematomas presentes na face do menor são secundários ao...

LESÃO CORPORAL: O ESPECTRO EQUIMÓTICO DE LEGRAND SU SAULLE NÃO CONSTITUI DEMONSTRAÇÃO IRREFUTÁVEL

APELAÇÃO CRIMINAL LESÃO CORPORAL Pleito de absolvição Alegação de ausência de prova da materialidade em razão de eivas no auto de exame de corpo de delito Inocorrência Perícia despida de qualquer nódoa Equívoco na referência à data dos fatos que constitui mero erro material Dia dos fatos inequívoco nos autos Alegação de que as equimoses deveriam apresentar cor azulada, de acordo com o tempo decorrido Insubsistência “Espectro equimótico de Legrand du Saulle” que não constitui demonstração...

CONCEITOS E DEFINIÇÕES: NASCIMENTO, VIDA, COEFICIENTES, ABORTO, MORTE FETAL

Nascimento

  • É a completa expulsão ou extração, do organismo materno, de um feto, independentemente do fato de o cordão ter sido cortado ou de a placenta estar inserida.

  • Fetos pesando menos de 500g não são viáveis e, portanto, não são considerados como nascimento para fins de estatísticas perinatais.
  • Na ausência de peso de nascimento, a idade gestacional de 20 a 22 semanas completas é considerada equivalente a 500g.
  • Quando não se sabe nem o peso nem a idade gestacional, o comprimento de...

sábado, 30 de agosto de 2008

ACÓRDÃO - Conceitos - Trabalhador com doença ocupacional tem estabilidade

A doença ocupacional equiparável a acidente de trabalho, desencadeada no curso do contrato de trabalho, dá ao trabalhador o direito à garantia de emprego, bastando para isso a verificação do nexo causal. De acordo com esse entendimento, os Desembargadores da 3ª Turma do TRT-RS garantiram a estabilidade provisória à empregada a qual trabalhava com corte de carnes e que desenvolveu doença ocupacional.

A decisão foi fundamentada no artigo 118 da Lei 8213/91, o qual institui que o trabalhador que sofre acidente do trabalho tem garantida, pelo prazo mínimo de doze meses, a manutenção do seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente de percepção de auxílio-acidente.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

SÍNDROME DE ASPERGER

Paulo Teixeira 1
www.psicologia.com.pt
SÍNDROME DE ASPERGER
Paulo Teixeira
Licenciado em Psicologia pela Universidade Lusíada do Porto (Portugal)
Contactos do autor:
Telefone: 934645415
Email: vpaulo_teixeira@iol.pt


RESUMO
A incessante procura de conhecer o ser humano, leva a uma procura por parte dos cientistas a
necessidade de descobrir o processo psicológico do próprio Homem.
A Síndrome de Asperger é uma desordem pouco comum, contudo importante na prevenção
do processo psicológico de crianças, que tardiamente é diagnosticado devido à falta de
conhecimento por parte dos profissionais, nomeadamente dos professores e educadores. Esta
síndrome é uma categoria bastante recente na divulgação científica e encontra-se em uso geral
nos últimos 15 anos.

Aspectos Médicos da Síndrome de Asperger

Dr Walter Camargos Jr. / 2001

O que é a Síndrome de Asperger? SA

A Síndrome de Asperger é um transtorno de múltiplas funções do psiquismo com afetação principal na área do relacionamento interpessoal e no da comunicação, embora a fala seja relativamente normal. Há ainda interesses e habilidades específicas, o pedantismo, o comportamento estereotipado e repetitivo e distúrbios motores. A Síndrome de Asperger (SA) é uma das entidades categorizadas pela CID-10 no grupo dos Transtornos Invasivos, ou Globais, do Desenvolvimento – F84 e que todas elas iniciam invariavelmente na infância e com comprometimento no desenvolvimento além de serem fortemente relacionadas a maturação do SNC. Pode-se dizer também que desse grupo (Autismo Infantil, Autismo Atípico, a Síndrome de Rett e outros menos relevantes) a SA é o transtorno menos grave do continuum autístico . Como já foi claramente definida em outro capítulo deste livro, não me aterei a tais questões.

Qual é a Prevalência / incidência da S. Asperger?

AUTISMO – SINDROME DE ASPERGER

A síndrome de Asperger foi descrito primeiramente por um médico alemão , Hans Asperger, em 1944 ( um ano depois do primeiro trabalho de Leo Kanner em autismo). O Dr. Asperger discutiu em seu trabalho indivíduos que exibiam muitas idiossincrázias e estranhos comportamentos ( veja descrição abaixo ) . Freqüentemente indivíduos com o síndrome de Asperger têm muitos dos comportamentos listados abaixo:

LINGUAGEM
- A fala lúcida antes de idade 4 anos; gramática e vocabulário normalmente são muito bons . - fala às vezes é formal e repetitiva .
- A voz tende a ser plano e emotionless
- As conversações revolvem ao redor do ego

COGNIÇÃO ( APRENDIZAGEM )
- Obcecado com tópicos complexos , como padrões , desbote , música , história , etc.
- Freqüentemente descrito como excêntrico
- Q.I.s varia no do espectro , muitos abaixo do normal de habilidade verbal e acima da média em habilidades de desempenho .

terça-feira, 17 de junho de 2008

LEI No 10.211, DE 23 DE MARÇO DE 2001. Lei dos transplantes

LEI No 10.211, DE 23 DE MARÇO DE 2001.
Altera dispositivos da Lei no 9.434, de 4 de fevereiro de 1997, que "dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento".
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o Os dispositivos adiante indicados, da Lei no 9.434, de 4 de fevereiro de 1997, passam a vigorar com a seguinte redação:
"Art. 2o ....................
"Parágrafo único. A realização de transplantes ou enxertos de tecidos, órgãos e partes do corpo humano só poderá ser autorizada após a realização, no doador, de todos os testes de triagem para diagnóstico de infecção e infestação exigidos em normas regulamentares expedidas pelo Ministério da Saúde." (NR)
"Art. 4o A retirada de tecidos, órgãos e partes do corpo de pessoas falecidas para transplantes ou outra finalidade terapêutica, dependerá da autorização do cônjuge ou parente, maior de idade, obedecida a linha sucessória, reta ou colateral, até o segundo grau inclusive, firmada em documento subscrito por duas testemunhas presentes à verificação da morte." (NR)

DOAÇÃO DE ÓRGÃOS - perguntas freqüentes

Como posso me tornar um doador de órgãos?
O passo principal para você se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o seu desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. Porém, os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte. A doação de órgãos é um ato pelo qual você manifesta a vontade de que, a partir do momento da constatação da morte encefálica, uma ou mais partes do seu corpo (órgãos ou tecidos), em condiçães de serem aproveitadas para transplante, possam ajudar outras pessoas.

O que é morte encefálica?

É a morte do...

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Diagnóstico Pulsátil

Em Biossíntese olhamos para a história evolutiva do corpo, compreendendo o significado das suas camadas germinativas e o seu desenvolvimento, da concepção em diante, em termos da morfologia dinâmica da pessoa que pede ajuda terapeutica. Analisamos e procuramos comprender esta pessoa, do seu processo formativo às estruturas corporais; da história da vida intra-uterina à morfologia dinâmica do corpo.

1. Morfologia Dinâmica

As três camadas embrionárias (endoderma, mesoderma e ectoderma) se diferenciam e formam, respectivamente, as três regiões principais do corpo: abdômen, coluna e cabeça.

Os órgãos internos do tronco, pulmões e órgãos abdominais podem ser considerados o principal reservatório de energia da endoderma.

O centro organizacional dos principais músculos e da estrutura óssea do esqueleto é a coluna, com suas extensões nos braços, pernas e cabeça. A coluna e estes membros são os principais órgãos executivos da mesoderma.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Acidente em Congonhas: DNA já ajudou a identificar 25 corpos

Até o presente momento, 25 corpos de vítimas do acidente em Congonhas, no dia 17 de julho, foram identificados com ajuda do exame de DNA. O Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo (Imesc), órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, e outros cinco laboratórios de institutos e universidades de outros estados começaram a colher sangue de parentes das vítimas do acidente com o Airbus da TAM no dia 21 de julho.

O Imesc recolheu amostras de sangue de 197 familiares, o que permitiu a elaboração do perfil genético de 124 vítimas do acidente. A diferença ocorre porque, em algumas famílias, duas ou mais pessoas participaram da coleta. Após processar todo o material biológico, os técnicos do Imesc encaminharam via digital todos os dados prontos dos familiares das vítimas para comparação com as amostras das vítimas ao Instituto de Criminalística (IC).

domingo, 11 de maio de 2008

MEDICINA LEGAL

"As perfeições de Deus são tão
grandes e tão admiráveis que, se o mundo
estivesse cheio de livros, se todas as
criaturas fossem outros tantos escritores e
se toda a água dos mares se convertesse
em tinta, primeiro se encheriam todos os
livros, se cansariam todos os escritores e se
esgotariam os mares, e ainda se não teria
explicado uma só de suas perfeições”.
(Santo Agostinho, Filósofo-
Teólogo e Doutor da Igreja, 354-430 d.C.).
MEDICINA LEGAL Maceió-AL Copyright © PEREIRA, Gerson Odilon.
Documento acessível na página de internet de Medicina - UFAL: www.ufalmedicina.cjb.net

No século XII, em 1160, num concurso aberto na Escola de Medicina de Marrocos, em médico
moço chegado de Cordone, com 21 anos de idade, apenas, recitou uma prece muito interessante e
cheia de ensinamentos aplicáveis ainda em nossos dias.
Esse médico chamava-se Abou Amra Moussa ben Meimoen ben Obed Allah el Kartobi el Isrrail e
logrou, dentre inúmeros candidatos, o primeiro prêmio por unanimidade da congregação da referida
Escola Médica.

domingo, 20 de abril de 2008

Penas especiais para homens especiais: as teorias biodeterministas na Criminologia Brasileira na década de 1940

Casa de Oswaldo Cruz – FIOCRUZ.
Pós-Graduação em História das Ciências da Saúde.
ALCIDESIO DE OLIVEIRA JÚNIOR
“Penas especiais para homens especiais”: as teorias biodeterministas na
Criminologia Brasileira na década de 1940.
Rio de Janeiro
2005
2
ALCIDESIO DE OLIVEIRA JÚNIOR
“Penas especiais para homens especiais”: as teorias biodeterministas na
Criminologia Brasileira na década de 1940.
Dissertação de mestrado apresentada ao
Programa de Pós-Graduação em História das
Ciências da Saúde, da Casa de Oswaldo
Cruz / FIOCRUZ, como requisito parcial
para obtenção do grau de Mestre. Área de
concentração: História das Ciências.
Orientador: Professor Doutor Flávio Coelho
Edler.
Rio de Janeiro
2005
3
O48p OLIVEIRA JÚNIOR, Alcidesio de
“Penas especiais para homens especiais”: as teorias biodeterministas na
Criminologia Brasileira na década de 1940. / Alcidesio de Oliveira Júnior. – Rio
de Janeiro, 2005.
155fls.; 30cm.
Dissertação (Mestrado em História das Ciências da Saúde) – Casa de
Oswaldo Cruz – FIOCRUZ, 2005).
Bibliografia: f.137-155.
1. Criminologia- história. 2. América Latina. I. Título.
CDD 364
4
ALCIDESIO DE OLIVEIRA JÚNIOR
“Penas especiais para homens especiais”: as teorias biodeterministas na
Criminologia Brasileira na década de 1940.
Dissertação de mestrado apresentada ao
Programa de Pós-Graduação em História das
Ciências da Saúde, da Casa de Oswaldo
Cruz / FIOCRUZ, como requisito parcial
para obtenção do grau de Mestre.

terça-feira, 1 de abril de 2008

Previdência Social na América do Sul

CONSULTORIA LEGISLATIVA, 12 DE SETEMBRO DE 2000
MEIRIANE NUNES AMARO
PREVIDÊNCIA SOCIAL NA AMÉRICA DO SUL
I – INTRODUÇÃO
II – CHILE
III – ARGENTINA
IV – URUGUAI
V – PERU
VI – COLÔMBIA
VII – BRASIL
VIII – CONSIDERAÇÕES FINAIS
BIBLIOGRAFIA
ANEXO – PREVIDÊNCIA SOCIAL NA AMÉRICA LATINA: QUADROS COMPARATIVOS
2
I – INTRODUÇÃO
Desde princípios da década de 90, vários países latino-americanos vêm empreendendo radicais reformas em seus sistemas previdenciários ou procurando vislumbrar um modelo diferente e ideal para suas realidades específicas. Na América do Sul, são exemplos: Argentina, Peru, Colômbia, Uruguai e Bolívia (em implantação). Embora apresentem diferenças, todos os novos modelos têm em comum o mesmo paradigma: o sistema de previdência social adotado no Chile no início dos anos 80. Tais “reformas de segunda geração” tiraram proveito da experiência chilena acumulada por mais de uma década.

Saiba como é a licença-maternidade em outros países

Na Suécia, mãe pode ficar em casa por mais de um ano com o filho.
Em várias nações, porém, período de licença é de 90 dias.
A discussão sobre a extensão da licença-maternidade para seis meses no Brasil promete colocar o país entre os mais generosos na concessão do benefício no mundo. Na maioria das nações, segundo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), o período de licença para mães trabalhadoras varia de três a quatro meses.

Licença maternidade em países da América Latina, Ásia e Europa
PAÍS PERÍODO FATIA DO SALÁRIO QUEM PAGA
Alemanha 3 meses e meio 100% Seguridade/empregador
Argentina 3 meses 100% Seguridade social
Bolívia 4 meses 100% (salário mínimo) ou 70% Seguridade social
Brasil 4 meses 100% Seguridade social
China 3 meses 100% Empregador
Índia 4 meses 100% Seguridade/empregador
Itália 5 meses 80% Seguridade social
Japão 3 meses e meio 60% Plano de saúde/seguridade
Rep. Checa 7 meses 69% Seguridade social
Reino Unido 6 meses e meio 90% (6 semanas) e taxa fixa Seguridade/empregador
Suécia até 16 meses 80% e taxa fixa Seguridade social

Fonte: Organização das Nações Unidas

LICENÇA MATERNIDADE NO BRASIL E NO MUNDO

Licença maternidade, no Brasil e no mundo ...
________________________________________
A licença maternidade é um meio de proteção à mulher trabalhadora que por motivos biológicos, necessita de descanso, com o objetivo de se recuperar do desgaste físico e mental provocados pela gravidez e parto. Já o Salário-maternidade é o benefício a que tem direito as seguradas empregadas.

O Quadro comparativo sobre a Licença Maternidade no Mundo

ALEMANHA - 14 semanas com salário integral.
ARGENTINA - 3 meses com 100% da remuneração.
AUSTRÁLIA - 52 semanas, mas sem salário.
BÉLGICA - 15 semanas com 82% da remuneração.
BRASIL - 3 meses com salário integral.
CANADÁ - 17 semanas com salário integral.
CHILE - 18 semanas com salário integral.
CUBA - 18 semanas com salário integral.
DINAMARCA - 18 semanas com 90% da remuneração

MAIORIDADE PENAL

Maioridade penal
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A maioridade penal, também conhecida como "idade da responsabilidade criminal", é a idade a partir da qual o indivíduo pode ser penalmente responsabilizado por seus atos, em determinado país ou jurisdição.
Em alguns países, o indivíduo abaixo da maioridade penal está sujeito, a partir de certa idade, a punições mais leves, como detenções ou internações em instituições correcionais ou reformatórios.
A maioridade penal não coincide, necessariamente, com a maioridade civil, nem com as idades mínimas necessárias para votar, para dirigir, para trabalhar, para casar, etc.
Índice
[esconder]
• 1 Terminologia
o 1.1 Características da sanção penal
• 2 Maioridade penal nos países de língua portuguesa
o 2.1 Brasil
 2.1.1 Reforma da idade penal
o 2.2 Portugal
 2.2.1 Proposta de redução de 16 para 14 anos
• 3 Maioridade penal : comparação entre os países
o 3.1 América do Sul
o 3.2 Europa
o 3.3 América do Norte

terça-feira, 11 de março de 2008

Epidemiologia, História Natural e Prevenção de Doenças

ALTERAÇÕES BIOQUÍMICAS, HISTOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS

Neste estágio, a doença já está implantada no organismo afetado. Embora não se percebam manifestações clínicas, já existem alterações histológicas em nível de percepção subclínica de caráter genérico. Estas alterações não são perceptíveis. Porém, ainda neste estágio, a doença já está presente e pode ser percebida através de exames clínicos ou laboratoriais orientados.

Denomina-se “horizonte clínico” a linha imaginária que separa este estágio do seguinte. Abaixo dessa linha se processam todas as manifestações bioquímicas, fisiológicas e histológicas que precedem as manifestações clínicas da doença. É o chamado período de incubação.

Algumas doenças não passam desta etapa. Devido às respostas dadas pelas defesas orgânicas, podem regredir deste estágio patológico ao de saúde inicial. Em outros casos, a progressão se dá diretamente para uma etapa menos favorável (Fig. 2-1B).

Saúde x doença

O que é saúde?

Segundo o dicionário de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, saúde é o "estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal." Dessa forma, saudável é o indivíduo que goza de boa saúde.

Segundo Dubos, “os estados de saúde e doença são a expressão do sucesso ou do fracasso experimentado pelo organismo em seus esforços para responder adaptativamente a desafios ambientais” (Dubos S. Man adapting. New Haven: Yale University Press, 1965).

Conforme a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde é "um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não meramente a ausência de doença ou enfermidade".

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO

O PCMSO é um programa que especifica procedimentos e condutas a serem adotadas pelas empresas em função dos riscos aos quais os empregados se expõem no ambiente de trabalho. Seu objetivo é prevenir, detectar precocemente, monitorar e controlar possíveis danos à saúde do empregado. Implementar o PCMSO é importante sobretudo para cumprir a legislação em vigor. Além disso, você pode estar prevenindo possíveis conseqüências jurídicas decorrentes do aparecimento de doenças ocupacionais, como processos cíveis, criminais e previdenciários.

O médico do trabalho, fará o reconhecimento prévio dos riscos ocupacionais existentes na empresa em função das atividades desenvolvidas. O PCMSO deve estar articulado com todas as normas regulamentadoras , principalmente a NR-9 (PPRA).
Todas as empresas que possuam empregados, independente do tamanho e grau de risco, desde que regidos pela CLT são obrigadas a implantar o PCMSO. Excluem-se desta obrigatoriedade de indicar médico coordenador deste Programa as Empresas:

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, conhecido como NR-7, visa a prevenção da Saúde do Trabalhador.Principais Esclarecimentos da Medicina do Trabalho

O que é PCMSO?
É o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, conhecido como NR7,
sua implantação visa a prevenção da Saúde do Trabalhador.

O que são exames clínicos e complementares?
Os exames clínicos ou avaliação médica são aqueles realizados pelo médico no consultório e os exames complementares são os realizados em laboratórios, ou por outros profissionais, com o objetivo de prevenir doenças ocupacionais.

Esclarecimentos quanto aos exames complementares?
Exames complementares são todos os exames que exigem equipamentos específicos e que são realizados para complementar o atendimento médico - Exemplo: Audiometrias, exames de sangue, urina, etc.

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

A Norma Regulamentadora - NR9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) que visa a preservação de saúde e de integridade física dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e conseqüente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

O PPRA faz parte de um conjunto de medidas mais amplas, contidas nas demais Normas Regulamentadoras, porém articula-se, principalmente com a NR-07,ou seja, Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e de Prevenção de Perdas Auditivas (PPPA).

Através do PPRA pode ser conseguido a diminuição de perdas decorrentes de:
- afastamento por acidentes do trabalho;
- afastamento por doenças ocupacionais;
- estabilidade funcional;
- atuação de sindicatos e fiscais da DRT;
- processos trabalhistas cíveis.

Vantagens:

Segurança e Saúde no Trabalho: FAQ* do PPRA - As perguntas mais frequentes e as respostas mais adequadas

* O termo FAQ vem de Frequently Asked Questions, e está sendo usado aqui por ser uma expressão muito comum na Internet, para designar páginas de perguntas e respostas, mesmo em português. Traduzindo livremente, eu chamo as faq´s de Perguntas Mais Frequentes. Este trabalho foi idealizado e realizado pelo Engenheiro de Segurança Ricardo Pereira de Mattos.

1) Afinal, o que é PPRA ?
R: PPRA é a sigla de Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Esse programa está estabelecido em uma das Normas Regulamentadoras (NR-9) da CLT- Consolidação das Leis Trabalhistas, sendo a sua redação inicial dada pela Portaria nº 25, de 29 de dezembro de 1994, da Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, do Ministério do Trabalho.
2) Qual o objetivo do PPRA ?

PPRA - Programa de Prevenção de riscos Ambientais

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais ou PPRA é um programa estabelecido pela Norma Regulamentadora NR-9, da Secretaria de Segurança e Saúde do Trabalho, do Ministério do Trabalho.

Este programa tem por objetivo, definir uma metodologia de ação que garanta a preservação da saúde e integridade dos trabalhadores face aos riscos existentes nos ambientes de trabalho.

A legislação de segurança do trabalho brasileira considera como riscos ambientais, agentes físicos, químicos e biológicos. Para que sejam considerados fatores de riscos ambientais estes agentes precisam estar presentes no ambiente de trabalho em determinadas concentrações ou intensidade, e o tempo máximo de exposição do trabalhador a eles é determinado por limites pré estabelecidos.

Agentes de Risco

Galileu vai ter estátua no Vaticano

Astrónomo italiano foi perseguido pela Inquisição

O astrónomo italiano Galileu, perseguido pela Inquisição por afirmar que a Terra girava em torno do Sol, vai ter direito a uma estátua, em 2009, nos jardins do Vaticano, noticiou hoje a agência noticiosa italiana, Ansa. O cientista morreu em 1642.

Lusa

A estátua Galileu em "tamanho natural" e esculpida em mármore será colocada nos jardins do Vaticano, numa homenagem pedida pelos membros da Academia Pontíficia das Ciências.

Galileu Galilei (1564-1642) nasceu em Pisa e começou a observar a Lua e as estrelas através de um instrumento revolucionário, o telescópio astronómico, e gradualmente confirmou que a Terra girava em torno do Sol, o que já tinha sido defendido antes por Copérnico.

Essa constatação valeu ao cientista a perseguição da Inquisição da Igreja Católica, que lhe exigiu que negasse as suas teorias sob a ameaça de o lançar na fogueira.

Em 1992, depois de um inquérito de 13 anos, o Papa João Paulo II deu por encerrado o caso Galileu, reconhecendo que a Igreja se tinha enganado.

O ano de 2009 foi proclamado pelas Nações Unidas como Ano Internacional da Astronomia para comemorar a primeira utilização de um telescópio por Galileu.

fonte: sapo

Vaticano terá estátua de Galileu Galilei

O astrônomo italiano Galileu Galilei (1564-1642), vítima da Inquisição ao proclamar que a Terra girava em torno do Sol, terá em 2009 uma estátua nos jardins do Vaticano, informou a imprensa italiana nesse sábado.

Uma estátua "em tamanho natural" em mármore será colocada nos jardins do Vaticano no ano que vem, em uma homenagem desejada por alguns membros da Academia Pontifícia de Ciências, indicou a imprensa.

Galileu Galilei nasceu em Pisa (centro da Itália). Ele estudou a Lua e as estrelas com um telescópio revolucionário, e suas descobertas permitiram que confirmasse a rotação da Terra em torno do Sol, teoria que já havia sido antecipada por Copérnico (1473-1543). Essas afirmações levaram a Igreja Católica a persegui-lo, o que acabou obrigando-o a renegar sua tese.

A Igreja Católica só reconheceu seu erro em 1992, sob o papado de João Paulo 2º. A ONU proclamou 2009 como o Ano Internacional da Astronomia, para comemorar a primeira utilização de um telescópio por parte de Galileu.

fonte: folha
da France Presse, em Roma

MASLOW E A TEORIA DAS NECESSIDADES HUMANAS

Tal teoria foi desenvolvida por Abraham H. Maslow. Segundo ele, o homem é motivado por necessidades organizadas numa hierarquia de relativa prepotência . Isto quer significar que uma necessidade de ordem superior surge somente quando a de ordem inferior foi relativamente satisfeita. McGregor resumiu de maneira excelente a teoria de Maslow, estruturada em cinco níveis, merecendo a transcrição:
“ Necessidades Fisiológicas
O homem é um animal dotado de necessidades; assim que uma de suas necessidades é satisfeita, surge outra em seu lugar. Esse processo não tem fim: é contínuo, desde o nascimento até a morte.
As necessidades do homem estão organizadas numa série de níveis, ou numa hierarquia de valor. No nível mais baixo, mas de grande importância quando não satisfeitas, estão as necessidades fisiológicas. O homem só busca o pão quando não há pão. A menos que as circunstâncias sejam especiais, suas necessidades de amor, ‘status’ e reconhecimento são inoperantes quando seu estômago está vazio há um certo tempo. Mas quando ele come regularmente e de maneira adequada, a fome cessa de ser motivação importante. O mesmo ocorre em relação às outras necessidades fisiológicas do homem: de descanso, exercício, abrigo, proteção contra intempéries, etc.
A necessidade satisfeita não motiva comportamento. Esse é um fato de profunda significação comumente ignorado pelo conceito tradicional de administração. Consideremos a necessidade de ar. O ar não causa efeitos importantes de motivação sobre nosso comportamento a não ser quando ficamos privados dele.

As infecções dentro do âmbito hospitalar

I. Conceito e cadeia epidemiológica das infecções hospitalares

II. O programa de controle de infecções

III. As principais infecções hospitalares

IV. Porque devemos controlar as infecções hospitalares

I. Conceito e cadeia epidemiológica das infecções hospitalares
*
Com uma regularidade impressionante, novamente as infecções hospitalares voltaram aos noticiários e mais uma vez procura-se um culpado de plantão. Uma inquietação é reforçada neste momento nos pacientes, profissionais de saúde e administradores hospitalares: poderei um dia estar envolvido numa situação destas e o que estou fazendo para preveni-la?
*
Os estudos sobre a infecção hospitalar tiveram início no século XIX, na Áustria. Mulheres morriam após o parto por terem contraído um mal desconhecido. Na época pesquisas mostraram que os estudantes de medicina depois de fazerem autópsias examinavam as parturientes sem lavar as mãos ou usarem qualquer tipo de proteção, o que levava à infecção. Uma simples medida preconizada, a lavagem das mãos, reduziu significativamente o índice de infecção.

INFECÇÃO HOSPITALAR

O que é infecção?

Infecção é uma doença que envolve microrganismos (bactérias, fungos, vírus e protozoários). Inicialmente ocorre a penetração do agente infeccioso (microrganismos) no corpo do hospedeiro (ser humano) e há proliferação (multiplicação dos microrganismos), com conseqüente apresentação de sinais e sintomas.

Estes sinais e sintomas podem ser, entre outros: febre, dor no local afetado, alteração de exames laboratoriais, debilidade, etc.

As infecções podem acometer diversas localizações topográficas de um indivíduo (partes do corpo), ou disseminar-se pela corrente sangüínea.

Alguns agentes têm “preferência” por determinadas localizações topográficas, assim a localização da infecção depende do tipo de microrganismo.

O que é Infecção Hospitalar?

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
Você é especial, essencial, essência. Jamais desista de você.

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!